ego

@ego

Segurança, privacidade, cenas e afins. Sobretudo estes.

Guestbook

Backups, fotos e descanso...

... o que pretende ser o abreviado de "Método provavelmente ideal para fazer cópias de segurança de fotos da forma mais organizada  e segura possível", sem usar nenhum dos sorvedores de dados do costume, tipo Google Drive, iCloud, etc.

Primeiros...

Antes de tudo, e numa perspetiva de fanático por gestores de ficheiros, há que assegurar uma forma e estrutura de armazenamento dos ficheiros que possa ser reutilizada, se necessário, num sistema operativo completamente diferente, e facilmente percetível e acessível via um qulquer gestor de ficheiros independentemente de qualquer aplicação de gestão ou visionamento de imagens.

O aprisionar dos dados em bases de dados de aplicações específicas acaba por complicar a coisa caso numa emergência ou mudança de sistema.

Um sistema de organização possível será algo como isto: fotos/ano/ano-mês/ano-mês-dia, e.g. fotos/2019/2019-04/2019-04-01. Neste exemplo, na pasta "fotos", são criados três níveis de pastas, identificadas pelo ano, mês e dia respetivos. Será esta estrutura a base que será depois definida nas configurações de importação da aplicação do computador.

A ideia é consolidar uma estrutura para depois as aplicações enviarem automaticamente os ficheiros para a respetiva pasta sem qualquer intervenção humana.

Para isto funcionar será naturalmente preciso que os ficheiros (fotos e vídeos) ao serem criados contenham a data e hora corretas.

Definida a estrutura básica, vamos arranjar o serviço. 

O Serviço

Deverá ser um serviço que tendencialmente tenha aplicações para as plataformas a utilizar (Android, iOS, Linux, Windows, MacOS...) - de preferência com encriptação de ponta-a-ponta e que crie uma pasta virtual no nosso sistema principal, ou permita a sincronização de uma já existente.

Esta será a pasta de destino, a fonte onde a aplicação desktop irá recolher os ficheiros para os distribuir pela estrutura de pastas criada.

Com algumas diferenças, cada um com as suas forças e fraquezas, três hipóteses são o pCloud, o Sync e o IDrive.

O Clique

Como por regra a produção de multimedia começará no telemóvel, há que instalar a aplicação móvel e... começar a fotografar e filmar.

Os ficheiros serão então enviados para a "nuvem" do serviço escolhido.

O Computador

Uma vez no desktop, a aplicação aí instalada irá sincronizar os ficheiros da nuvem com a pasta de destino / fonte / sincronização do computador; no caso do pCloud, há-de ser a pasta "Automatic Uploads" que a aplicação cria na pasta/drive virtual "pCloudDrive".

A Magia

Uma vez que as fotos já lá estão, agora importa distribuí-las pela estrutua hierárquica definida de acordo com o critério utilizado (no caso, três níveis de pastas dentro do diretório "fotos", ano, mês e dia).

Embora seja possível fazer isto manualmente, pode tornar-se cansativo e suscetível a erros. A solução que venho utilizando é o Rapid Photo Downloader (mas há-de haver mil e umas outras semelhantes), devendo as definições de importação da aplicação serem ajustadas por forma a ficarem idênticas à estrutura de pastas de destino.

O Toque Final

Depois é fazer uma cópia de segurança incremental da galeria num disco externo e na nuvem, e pronto, memórias salvas para a posteridade.


More from ego: