victorrwolff

@victorrwolff

Escrevo textos na internet desde 2011, em diversos blogs e sites que mantive ou participei. No listed compartilho alguns mais recentes sobre tecnologia, meio ambiente, privacidade e outras pautas. Email: victorrwolff@outlook.com

@victorwolff Guestbook

Guia básico sobre TEDs bancárias

Durante o período que fui estagiário no Banrisul, estive responsável por realizar a Transferência Eletrônica Disponível (famosa TED) nos canais de Internet Banking para os clientes que estavam na agência e não sabiam como efetuá-la.

Nesse período, tirei muitas dúvidas para diversos colegas e amigos sobre como realizar uma TED, seu modo de funcionamento, pré-requisitos, etc. Acontece que existem muitas dúvidas sobre TEDs, e resolvi escrever esse post como guia para usuários sobre como utilizá-las.

TED é o modo de transferência interbancária (ou seja, você é cliente de um banco e quer transferir valores para um destinatário em outro banco) mais prático e comum no mercado financeiro atualmente.

As TEDs são uma modalidade participante do SPB (Sistema de Pagamentos Brasileiro), que é responsável por todas as transferências de valor no mercado brasileiro, como pagamento de cheques, DOCs, pagamentos de cartão de crédito, etc.

Ao serem introduzidas no SPB em 2002, as TEDs tinham um valor mínimo de transação de R$ 5.000,00. Por isso, até hoje muita gente acha que pra fazer TED é preciso que seja respeitado um valor mínimo, automaticamente sugerindo que seja feito DOC (Documento de Ordem de Crédito) caso o valor a ser transferido seja pequeno. Essa informação é defasada, uma vez que o limite mínimo para transferências via TED foi sendo reduzido gradativamente até ser eliminado em 2016 pela FEBRABAN.

O uso de DOCs ainda hoje em dia se dá muito por essa noção errada, e gera transtornos, uma vez que o sistema de DOC é antigo e acarreta em prazos demorados, já que o DOC só é creditado no dia seguinte à operação. Ainda por cima, caso o DOC tenha alguma informação errada (se o número da conta, agência, CNPJ ou CPF do destinatário estiver digitado errado), o valor do DOC volta para a conta remetente somente no dia posterior à tentativa de entrega - ou seja, o remetente demora até dois dias para receber o valor de volta caso o DOC tenha sido feito incorretamente.

As TEDs, por sua vez, demoram no máximo meia hora para serem efetivadas, e caso algum número tenha sido informado incorretamente, o valor é devolvido à conta depois desse período. É um sistema rápido e seguro para a confirmação de transferências.

Para realizar uma TED, são necessárias somente as seguintes informações do destinatário: banco, agência, conta corrente, nome e CNPJ/CPF. Além disso, é preciso informar a finalidade (de uma lista pré-definida) e o valor (sem valor máximo ou mínimo para realização).

Quanto à tarifação, é cobrado pela TED somente um valor fixo, definido pelo banco na sua política comercial, e disponibilizado para os clientes na cesta de produtos. É ilegal a cobrança de taxa percentual sobre o valor da TED.

Os valores máximos a serem transferidos via TED podem ser definidos pela política dos bancos em relação aos canais de atendimento. Por exemplo, é possível que o banco defina um valor de, digamos, R$ 5.000,00 dentro do aplicativo móvel. Esse tipo de medida é tomada por segurança (em caso de hackers ou furto), e deve ser consultado na política do banco quanto aos canais de atendimento.

As TEDs podem ser realizadas para o mesmo titular em outro banco (mesmo nome e CPF/CNPJ) ou outro titular em outro banco. Transferências para outro titular no mesmo banco (por exemplo, cliente Banrisul para cliente Banrisul) são feitas no sistema interno do banco e normalmente são creditadas na mesma hora, não caracterizando TED.

As TEDs são irreversíveis e não estornáveis. Caso algum valor seja transferido para o destinatário errado por acidente, é necessário que seja solicitado a ele que devolva o valor para o remetente, independemente da importância não ter sido creditada na conta do destinatário ainda. Uma vez enviada, só resta torcer pra que ela não seja efetivada ou buscar o dinheiro de volta.

Acho que isso resume o funcionamento das TEDs, um método de transferência moderno, seguro e rápido do sistema financeiro brasileiro. Mais prático e efetivo que utilizar cheques, mais barato que ordens de pagamento (não obrigatoriamente, mas convencionalmente) e mais rápido que DOCs.

Espero que esse informativo seja útil para alguém!


You'll only receive email when victorrwolff publishes a new post

More from victorrwolff: