Patinhas

Se pensar num dos amores que mais me marcou na vida, escolho sem dúvida o meu primeiro gato – chamado Patinhas. Entreguei-me a ele completamente desarmado, sem receio, a pedir a sua atenção... sabia que precisava dele e ele precisava de mim. No dia em que tive de sair de casa por causa do meu divórcio, levei na mala uma sensação profundamente triste que nunca senti em relação a mais ninguém, os seus olhos e o miar que representavam a familiaridade, na verdade foram lidos por mim como o som e a expressão de quem nunca iria perceber porque me fui embora. Os gatos não percebem porque os abandonamos e continuam a miar mesmo depois da porta bater. Fui embora e nunca lhe pude explicar porquê.


You'll only receive email when Pedro Nunes publishes a new post

More from Pedro Nunes